19 de mai de 2013

Institutas 2

"... o sentimento da divindade foi naturalmente impresso no coração dos homens, uma vez que a necessidade extrai sua confissão até dos próprios réprobos. Enquanto tudo está tranquilo, zombam de Deus, ou melhor, são mordazes e loquazes em enfraquecer seu poder; se algum desespero os aflige, estimula-os a buscá-lo e a ditar pequenas preces, pelas quais fica evidente que não desconheciam inteiramente a Deus, mas que o que devia manifestar-se antes foi suprimido pela malícia e rebeldia."
(João Calvino, Livro 1, Capítulo IV, parágrafo 4)

"... Mas, porque a maioria, imiscuída em seus erros, está cega a um cenário tão grandioso, exclama o profeta que é de rara e singular sabedoria examinar com prudência essas obras de Deus, de cuja visão nada progridem aqueles que sob outros aspectos são muito sagazes. Decerto, por mais que brilhe a glória de Deus, de cem, um será seu verdadeiro espectador."
(João Calvino, Livro 1, Capítulo V, parágrafo 8)

16 de mai de 2013

Institutas 1

Esta postagem inaugura uma série que, pela graça de Deus, estaremos apresentando neste espaço, sobre a importante obra de João Calvino, "A Instituição da Religião Cristã" (em latim, "Institutio Christianae Religionis"), em sua edição integral de 1559.

- João Calvino, para o leitor:
"Salve, amigo Leitor! E se apanhares algum fruto de meus labores, favoreça-me junto a Deus nosso pai, com tuas preces."
(De Genebra, no primeiro dia de agosto do ano de 1559)

11 de mai de 2013

Aprendizado piedoso 59

Os 4 estágios consecutivos na vida de oração:

1) Oramos porque Deus nos ordena a orar.
2) Oramos porque precisamos orar.
3) Oramos porque queremos orar.
4) Oramos porque amamos orar.

(Ravi Zacharias)

Ver o vídeo, a partir de 47:27 (47 minutos e 27 segundos).

10 de mai de 2013

Aprendizado piedoso 58

“Adoração é a submissão de toda a nossa natureza a Deus. É o despertar da consciência pela Sua santidade; o sustento da mente com a Sua verdade; a purificação da imaginação por Sua beleza; a abertura do coração para o Seu amor; a entrega da vontade ao Seu propósito - e tudo isso reunido em adoração, a emoção mais altruísta de que a nossa natureza é capaz e, portanto, o principal tratamento para esse egocentrismo que é o pecado original e a fonte de pecado atual ."
(Arcebispo William Temple)


O acaso causa?

O ser humano é obra do acaso ?

8 de mai de 2013

Aprendizado piedoso 57

Trechos extraídos do sermão número 2800, intitulado "Orai, orai sempre", pregado por Charles Haddon Spurgeon, na noite de domingo, 3 de novembro de 1878, no Tabernáculo Metropolitano, em Newington:

Texto bíblico usado como referência na pregação: João 16:26-27
"Naquele dia, pedireis em meu nome; e não vos digo que rogarei ao Pai por vós.
Porque o próprio Pai vos ama, visto que me tendes amado e tendes crido que eu vim da parte de Deus."

Página 4:
"Às vezes somos por demais cuidadosos em escolher e usar frases para usar em nossas orações. Você acredita que Deus se agrada com uma demonstração de oratória, ou que Ele analisa sua eloquência quando você comparece ante o Trono da Graça? Pode agradar a um professor de literatura fazer a crítica das suas frases, mas Deus pensa muito mais nos seus desejos do que nas palavras com que você os expressa. Pode ser uma coisa natural para um professor analisar a exatidão dos termos que você emprega, mas Deus observa especialmente o ardor da sua alma. Não existe outro lugar onde o coração deva estar tão livre quanto diante do Trono de Misericórdia. Ali você pode falar por meio de sua própria alma, pois esta será a melhor oração que poderá ser feita."

"Peça sempre. Toda a sua vida deveria ser gasta em pedir. Quando o dia amanhece, peça a misericórdia de que precisará durante aquele dia; e quando o dia cerrar as pálpebras e você for para a cama, peça a proteção e o descanso que precisar para aquela noite. Peça quando sua voz só puder ser ouvida por Deus em segredo, e peça quando a sua língua talvez não possa se mexer, mas apenas o seu espírito possa falar ao ouvido de Deus. Nunca hesite pedir por causa da grandiosidade da bênção que você deseja. O Senhor é um grande Deus embora você seja tão pequeno, e Ele se delicia em dar grandes coisas para aqueles que vêm à sua presença pedir. E não hesite em pedir por julgar que você não tem merecimento. Você nunca terá nenhum merecimento em você mesmo, portanto, se um senso de indignidade fosse checar sua oração agora, ele provavelmente iria sempre o impedir de orar. Ainda assim, o Senhor determinou que pedíssemos, logo, deve ser certo pra você, pedir. Peça quando estiver enfrentando alguma coisa que não consiga vencer; peça quando tiver lutado para conseguir algo sem tê-lo conseguido; peça, e irá receber. Vá à presença de Deus mesmo com os trapos do seu pecado e peça, é só o que você tem a fazer. ―PEDI, E RECEBEREIS – João 16:24, esta é a mensagem que brilha com a luz celestial vinda do Trono da Misericórdia."

Página 9:
"Como deveríamos orar agora que temos o ouvido, e mais do que isso, o próprio coração do Rei! Ter como professor o Espírito Santo e como Advogado o Nosso Senhor Jesus Cristo deveria ser encorajamento suficiente para nós; mas termos o coração do próprio Rei é o melhor de tudo: 'PORQUE O PRÓPRIO PAI VOS AMA'."


2 de mai de 2013

"Minha alma anseia por Ti"

“A ti levanto as mãos; a minha alma anseia por ti, como terra sedenta” (Salmos 143:6).
“Aguardo o SENHOR, a minha alma o aguarda; eu espero na sua palavra” (Salmos 130:5). 
“SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. Pelo contrário, fiz calar e sossegar a minha alma; como a criança desmamada se aquieta nos braços de sua mãe, como essa criança é a minha alma para comigo. Espera, ó Israel, no SENHOR, desde agora e para sempre” (Salmos 131, Cântico de romagem, de Davi).

Só agora compreendo os salmistas, Senhor...
Só então pude perceber a profundidade do seu desejo por Tua presença...
Só anelo, da mesma forma, dizendo “minha alma anseia por Ti”, na esperança de alcançar o sossego para a minha alma, “como a criança desmamada se aquieta nos braços da sua mãe”...


“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”

“Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.” 
(Salmos 46:10-11)
Nas noites mais sombrias da alma, procuramos pelo Senhor...
... Ele está a sussurrar aos nossos ouvidos: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”...
Diante das provações e tribulações, procuramos pelo Senhor...
... Ele está a falar aos nossos ouvidos: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”...
Observando, com perplexidade, o mundo inquieto, procuramos pelo Senhor...
... Ele está a bradar aos nossos ouvidos: “Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus”...
... Até o dia em que passamos a ouvi-LO mais nitidamente... 
... E aprendemos onde procurar a Sua voz alvissareira... “Deus... é o nosso refúgio”


Não tem propósito

Não tem propósito descer às profundezas da minh’alma...
Procurando por uma verdade que não habita em mim, mas no EU SOU que me criou...
Não tem propósito cavar nas fendas mais recônditas do meu coração...
Procurando por um sangue que não é meu, mas do Cordeiro que o derramou por mim...
Não tem propósito perscrutar o labirinto da minha consciência...
Procurando por uma sabedoria que não é minha, mas sim do Espírito Conselheiro...
Não tem propósito...
... Até que fique claro que o Maravilhoso Conselheiro, o Príncipe da Paz, é o autor e o consumador da fé, o Cordeiro de Deus e o Leão da Tribo de Judá, o Alpha e o Ômega, o começo e o fim... Ele retém toda plenitude... Ele existe em toda a eternidade... 
“Como águas profundas, são os propósitos do coração do homem, mas o homem de inteligência sabe descobri-los” (Provérbios 20:5).


1 de mai de 2013

Aprendizado piedoso 56

Tradução de um trecho do poema "The prisoner" ("O prisioneiro"), de Emily Jane Brontë:

"... Intensa a agonia
Quando o ouvido começa a ouvir, e o olho começa a ver;
Quando o pulso começa a pulsar, o cérebro a pensar novamente;
A alma a sentir a carne, e a carne a sentir a corrente."