28 de abr de 2014

"O Deus que se revela" 2

Seguem alguns trechos selecionados do livro "O Deus que se revela", de Francis Schaeffer. Recomendo a leitura completa do livro.

26 de abr de 2014

"O Deus que se revela"

Este livro ("O Deus que se revela") é uma das obras que compõe a chamada "trilogia" fundamental de Francis Schaeffer, junto com "O Deus que intervém" e "A Morte da Razão".

No prefácio escrito por Charles W. Colson, pode-se encontrar o seguinte trecho:
"Schaeffer não era apenas um grande profeta e intelectual, mas também um mestre bondoso e amoroso. Nos encontramos no final dos anos 70, em L'Abri e passei muitas horas com ele nos anos seguintes. Nunca deixei de aprender, nunca deixei de ser inspirado. Num dos momentos mais críticos do meu ministério, procurei o conselho de Schaeffer. Sua resposta foi: 'Não tente fazer tudo. Nem toda necessidade é um chamado'. Essas palavras me libertaram. 
Era um conselho que Schaeffer punha em prática. Evitava muitas distrações, esquivando-se cuidadosamente de controvérsias políticas que não contribuiriam para o mundo cristão. Concentrava-se em defender a ortodoxia e a verdade, incentivando a espiritualidade autêntica e levando adiante uma visão cristão da vida como um todo. A mensagem de Schaeffer permanece, seus ensinamentos são tão importantes para esta geração como foram para os hippies e evangélicos dos anos 70.
O livro providencialmente republicado aqui é um verdadeiro clássico. "O Deus que se revela" é a argumentação fundamental de Schaeffer sobre a verdade da revelação bíblica e a compreensão bíblica da vida. É uma competente apologia que oferece uma visão do Cristianismo em contraste com as grandes tendências filosóficas e abordagens da era moderna."

No prefácio escrito por Jerram Barrs, pode-se encontrar os seguintes trechos:
"Francis Schaeffer acreditava, de todo o coração, que o Cristianismo é a verdade sobre o universo em que vivemos. Deus existe lá e não está calado. Deus não é uma ideia de nossa mente ou nossos desejos, projetada sobre a gigantesca tela do céu, uma espécie de super-humano criado para atender às nossas necessidades. Deus não é um pensamento no sistema de um filósofo que não consegui lidar com a falta de respostas para o dilema de nossa existência humana. Não, Deus existe de fato e falou conosco através da Bíblia para nos contar coisas sobre si mesmo, sobre nós mesmos e sobre o mundo. Tornou conhecido para nós aquilo que jamais poderíamos descobrir por conta própria, através de nossos questionamentos e busca.
Deus revelou para nós a verdade sobre o mundo em que vivemos, a verdade sobre a existência humana e a verdade sobre si mesmo. Falou-nos verdadeiramente através de sua Palavra e, portanto, a mensagem da Bíblia é adequada para a natureza da realidade como a experimentamos. Para usar uma imagem podemos dizer que o relato bíblico da vida humana serve como uma luva na mão da realidade."
"Schaeffer costumava dizer: 'Estou mais certo da existência de Deus do que da minha própria existência!' Isso pode parecer estranho ou exagerado, mas ele estava simplesmente reconhecendo o fato de que, se Deus não existisse, então ele não existiria."
"Mas não importava quem eram ou como falavam, Schaeffer tinha profunda compaixão por eles [seus interlocutores]. Tratava-os com respeito, levava suas perguntas a sério (mesmo que já as tivesse ouvido mil vezes) e as respondia com mansidão. Ele sempre orava com essas pessoas e procurava desafiá-las com a verdade. Mas esse desafio nunca era apresentado de forma agressiva. Ele dizia (e mostrava de modo prático para nós): 'Sempre deixe à pessoa um canto para o qual ela possa se retirar com dignidade. Você não está tentando vencer uma discussão ou derrubar alguém. Você está procurando ganhar uma pessoa, alguém feito à imagem de Deus. Não se trata de você vencer, do seu ego. Se essa é sua abordagem, você só vai conseguir mexer com o orgulho dela e tornar ainda mais difícil parra ela ouvir o que você tem a dizer'."
"... Schaeffer dizia, como fala neste livro, que para chegar à verdade, homens e mulheres têm que se curvar diante de Deus três vezes.
- Temos que nos curvar como criaturas, reconhecendo que Deus é Deus e que nós não somos a fonte e origem de nossa própria vida. Pelo contrário, somos dependentes. Nosso coração resiste a essa postura.
- Temos que nos curvar moralmente, reconhecendo que somos pecadores que desobedeceram os mandamentos de Deus e que merecem seu julgamento. Somos dependentes de sua misericórdia através de Jesus Cristo.
- Precisamos nos curvar no âmbito do conhecimento. Deus é a fonte da verdade e nós não. Somos dependentes dele para compreender o mundo e até mesmo nossa própria existência."

Institutas 22

“Quanto ao que se diz, que Deus purifica sua Igreja de todo pecado e que promete a graça de sua libertação por meio do batismo e que a completa em seus eleitos (Ef 5:26-27), referimo-nos mais à acusação do pecado que à matéria dele. É certo que Deus faz isso ao regenerar os seus, para abolir neles o reino do pecado (pois lhes subministra a virtude do Espírito dele, com a qual se tornam superiores e vencedores na luta); mas o pecado somente deixa de reinar, não de habitar. Por isso dizemos assim: o homem velho é crucificado e a lei do pecado está abolida nos filhos de Deus, de tal maneira, no entanto, que neles resta resquícios do pecado (Rm 6:6), não para dominá-los, mas para humilhá-los com a consciência de sua debilidade.”
(João Calvino, Livro 3, Capítulo III, parágrafo 11)

“... E igualmente também na homilia 41 sobre João, onde fala sem temor do fundo do coração: 'Se na carne serves à lei do pecado, faz o que o próprio apóstolo diz: "não reine pecado em vosso corpo mortal, para que não obedeçais a seus desejos" (Rm 6:12). Não diz "não haja", mas "não reine". Enquanto viveres, necessariamente há de haver pecado em teus membros, mas ao menos tire-lhe o reino e não se faça o que ele manda' [Agostinho, In Ioh., tract. 41, 12 MSL 35, 1698].”
(João Calvino, Livro 3, Capítulo III, parágrafo 13)

“... Os fiéis sabem muito bem, por experiência, que tipo de pena é o pudor, a confusão, o gemido, o desgosto de si e os demais afetos que nascem do reconhecimento sério de nossos delitos. Lembremo-nos, não obstante, de que se deve ter medida, para que a tristeza não nos consuma, porque não há coisa a que as consciências inquietas mais estejam expostas do que cair em desespero.”
"... Mui útil é, a propósito desse tema, a admoestação de Bernardo: 'A dor por causa do pecado é necessária, contanto que não seja contínua. Aconselho-vos a que, de vez em quando, volteis as costas à recordação incômoda e dolorosa de vossos caminhos e vos retireis para a serena planície da memória dos benefícios de Deus. Mesclemos mel ao fel, para que o saudável amargor possa dar-nos saúde, quando for bebido temperado com a doçura misturada. E se provais o que é vosso na humildade, senti também o que é de Deus, na bondade' [Bernardus Cl., In cantica serm. 11, 2 MSL 183, 824 D, 825 B]."
(João Calvino, Livro 3, Capítulo III, parágrafo 15)

15 de abr de 2014

João Calvino

Informações sobre:

- John Calvin
- "Institutes of the Christian Religion" (vários formatos, mp3 ou librivox)
- "A Instituição da Religião Cristã" (várias edições, por exemplo: neste link)

"The Ultimate Proof of Creation"

Alguns poucos trechos traduzidos do livro "The Ultimate Proof of Creation – resolving the origins debate", de Jason Lisle. Recomendo a leitura completa do livro.

8 de abr de 2014

Pensées (Pensamentos) - Blaise Pascal

Em inglês, várias versões.
(MP3)

Em português.
(PDF)

Localização de capítulos nos livros da Bíblia

Uma ferramenta on-line para auxiliar na localização de capítulos nos livros da Bíblia, através da busca pelos títulos das seções:

Passando o mouse sobre cada livro, movendo da esquerda para a direita, o usuário pode navegar pelos diferentes capítulos, buscando pelos nomes das seções do texto (ESV). Ao clicar, o usuário será redirecionado à página da BibleGateway, na posição do capítulo escolhido, para a versão "English Standard Version" (ESV). Neste ponto, o usuário pode escolher a versão "João Ferreira de Almeida Atualizada", em Português (PT), e clicar no botão "Search", para ter acesso ao texto nesta versão.

Localização geográfica nos textos Bíblicos

Uma opção para quem quer acompanhar a localização geográfica dos lugares citados nos textos Bíblicos:


Obs.: o usuário precisa ter cautela na utilização destes dados geográficos, por causa da precisão na localização moderna de alguns destes lugares citados nas Sagradas Escrituras. Contudo, de qualquer forma, pode ser uma ajuda interessante em vários momentos de leitura e estudo Bíblico.

"Fé racional em tempos irracionais"

Dr. Ravi Zacharias "Rational Faith in Irrational Times":

7 de abr de 2014

Um resumo apologético

Um vídeo de 15 minutos com um excelente resumo apologético na fé cristã, apresentado por um cientista que não se envergonha do Evangelho do Senhor Jesus Cristo (ver Lucas 9:23-26; Romanos 1:16-17).


6 de abr de 2014

Bodas de estanho

No dia 26/03/2014, Valéria e eu comemoramos 10 anos de casados, pela graça de Deus.
Ainda  no dia 26/03, a varoa recebeu este texto em primeira mão e com exclusividade, mas agora ela o liberou para ser compartilhado com os leitores do blog.
Rogamos ao Senhor que continue abençoando os casamentos e as famílias, em Cristo Jesus.
Quanto à você, amigo(a) leitor(a), que a paz do nosso Senhor Jesus Cristo esteja contigo.
Amém.