17 de dez de 2015

Institutas 35

“… Mas é falsa sua opinião de que a eleição só começa a ser eficaz quando abraçamos o Evangelho, e que daqui toma toda sua força e vigor. É verdade que, no que nos diz respeito, recebemos do Evangelho a certeza da mesma; porque, se tentássemos penetrar no decreto eterno e na ordenação de Deus, aquele profundo abismo nos tragaria. Mas, depois de que Deus nos manifestou e deu a entender que somos seus eleitos, é necessário que subamos mais alto, para que o efeito não sufoque sua causa. Porque que há de mais absurdo e (irrazoável) que, quando a Escritura nos ensina e afirma que Deus nos iluminou à medida que nos elegeu, esta claridade cegue de tal maneira nossos olhos que nos recusemos a olhar para nossa eleição?… Devemos, pois refrear esta temeridade com a sobriedade da fé, para que Deus nos seja testemunha suficiente de sua graça oculta, que nos revela em sua palavra; contanto que este canal, pelo que corre a água em grande abundância para que bebamos dela, não impeça que a verdadeira fonte tenha a honra que lhe é devida.”
(João Calvino, Livro 3, Capítulo XXIV, parágrafo 3)

10 de dez de 2015

Institutas 34

“… Como o tema da predestinação é de certa forma obscuro em si, a curiosidade dos homens o torna muito perigoso, porque o intelecto humano não se pode refrear, nem, por mais limites e termos que se lhe assinalem, deter-se para não se extraviar por caminhos proibidos e elevar-se com o afã, se lhe fosse possível, de não deixar segredo de Deus sem resolver e esquadrinhar… A primeira coisa é que se lembrem de que, quando querem saber os segredos da predestinação, penetram no santuário da sabedoria divina, no qual todo aquele que entra com ousadia não encontra como satisfazer sua curiosidade e mete-se num labirinto do qual não pode sair… Os segredos da sua vontade que determinou nos fossem comunicados, no-los manifestou em sua Palavra...”
(João Calvino, Livro 3, Capítulo XXI, parágrafo 1)

9 de dez de 2015

Aprendizado piedoso 115

Tradução de uma oração feita pelo Dr. Joel Beeke na Casa Legislativa do Estado de Michigan:

"Deus Altíssimo, nós Te agradecemos por ser o Deus vivo e triuno. Nos permita conhecer a Tua grandeza e sentir a nossa pequenez. O Teu reino é um reino eterno, e o Teu domínio é de geração em geração. Tu dominas sobre o reino da humanidade; os poderes que existem são Teus servos para o bem da humanidade.
Portanto, Pai celestial, eu te agradeço por esta Legislatura do Estado, e oro para que Tu conceda-lhes, em tudo o que eles fazem, o santo temor do Teu Nome, estimando os Teus sorrisos e olhares severos, mais do que os sorrisos e olhares severos dos homens. Guia-os em todas as decisões que eles tomam; os conceda sabedoria – sabedoria celestial, acima e além da sua própria. Ajude-os a servi a Ti a aos outros, como homens e mulheres da verdade, da justiça e do amor. Faça-os odiar o pecado e honrar ao Teu Filho, o Rei dos reis e Senhor dos senhores. Conduza-os a perseguir e promover a justiça espiritual, moral e fiscal. Concede-lhes a coragem e a sabedoria para mostrar misericórdia para com os necessitados e para defender os indefesos. Preencha-os com um oceano abundante de compaixão. Permita que o reino de amor seja o seu propósito, e a lei do amor seja a sua regra. Faça-os lutar para serem homens e mulheres de Deus, bem conhecidos por sua integridade; Permita-os serem honrados pela sua bondade, por meio das pessoas que os elegem.
Senhor, vivemos em dias conturbados, em que o pecado é propagado, onde muitas pessoas parecem fazer o que é certo aos seus próprios olhos, ao invés do que é certo aos Teus olhos, em relação aos assuntos relacionados à santidade de vida e as estruturas fundamentais da nossa sociedade. Ó, Senhor, livra-nos de percorrer o nosso próprio caminho. Ajuda-nos a nos humilhar diante de Ti, a arrependermo-nos dos pecados e nos voltar a Ti, pois Tu prometestes que se nos arrependêssemos, Tu nos ouviria dos céus, perdoaria os nossos pecados, e curaria a nossa terra. Lava todas as nossas fraquezas e pecados no sangue expiatório de Cristo. Ajude-nos, a todos, a lembrar que Tu, Ó Deus, és o Juiz de toda a terra. Permita-nos, portanto, encontrar a misericórdia do Teu Filho, quando Ele voltar para julgar os vivos e os mortos. Em nome de Cristo, nós oramos. Amém."